21 de jun de 2009

municipio pequeno, patrimônio ameaçado











Eu ia dar um tempo no tema patrimônio, mas, saiu hoje no Estado de Minas:
Ribeirão Vermelho – A forma lembra a do coliseu de Roma, a história se confunde com o período republicano brasileiro e o cenário é de encher os olhos de todo mundo. Mas, hoje, a situação da rotunda do conjunto ferroviário de Ribeirão Vermelho, no Sul de Minas, a 218 quilômetros de Belo Horizonte e a 10 quilômetros de Lavras, faz qualquer cristão tremer nas bases, com medo de que ele desapareça e leve, tijolo abaixo, parte deslumbrante da memória de Minas. Às margens do Rio Grande e à beira da ruína, a construção circular inaugurada em 1895, para manutenção e movimentação de locomotivas, é considerada a maior da América Latina e a quarta do planeta – a área de 4,4 mil metros quadrados corresponde a quase o dobro da arena do estádio do Mineirinho, na capital.

(...) Depois de vistoria em todo o complexo de mais de 85 mil metros quadrados, ele (O procurador da República Antônio Arthur Barros Mendes) explicou que, por estar em município pequeno (3,7 mil habitantes) e longe das principais cidades históricas mineiras, “tudo foi relegado ao quase esquecimento pelas autoridades”, quando deveria ser valorizado e preservado como bem cultural, histórico, paisagístico e arquitetônico.

A reportagem não cita o Iepha: sinal de que está isento de culpa ou de que não é lembrado como defensor do patrimônio?
.

5 comentários:

Vicente Bernardo disse...

Que tristeza de ver esse pedido de SOCORRO e a solução não parecer.....

Érika Santos disse...

Sérgio, não sei se por descuido ou por maldade, mas vc disse que a reportagem não cita o Iepha e o texto começa com: "O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (Iepha/MG), vinculado ao sistema estadual de cultura, já iniciou os estudos para futuro tombamento do complexo ferroviário de Ribeirão Vermelho."

Érika Santos disse...

Na verdade o trecho a qual vc se refere é a apresentação do lugar, para em seguida falar sobre o trabalho que está sendo desenvolvido pelo Iepha.

sergio machado disse...

Cara Érika: retirei as informações da página http://www.uai.com.br/UAI/html/sessao_2/2009/06/21/em_noticia_interna,id_sessao=2&id_noticia=115458/em_noticia_interna.shtml

Caso elas estejam incompletas, gostaria que você as complementasse. Terei o maior praer em reproduzir os seus esclarecimentos.

sergio machado disse...

Acrescento que posso pecar por equívoco ou mesmo por burrice, mas nunca por desonestidade intelectual.