16 de jun de 2009

Ainda o Patrimônio

E por falar em patrimônio, fico sabendo pela professora Ana Assis (História da Arquitetura, UIT), que o parque projetado por Diller Escofidio + Renfro, acaba de ser inaugurado em Nova York. Publiquei um post com o vídeo do projeto em abril, e bum! Ficou pronto. A gente se acostuma com o ritmo brasileiro e estranha a rapidez com que as coisas andam no mundo real. O nosso argumento de sempre é a falta de dinheiro, mas o governo federal vai investir este ano, o recorde de 1% do PIB em obras: é o mesmo percentual do aumento de despesas com salários do funcionalismo público. Mas isto é apenas mais um caso de polícia, ou de compra de votos.

O parque em questão é resultado do aproveitamento de uma linha férrea elevada, construída originalmente para acabar com os constantes acidentes que a coexistência com carros e pedestres provocava. Desativada há trinta anos (olha os trinta anos aí de novo...), a sua transformação em parque vinha sendo defendida desde então.
O crítico do NY Times, Nicolai Ouroussoff, com sua abordagem sempre primorosa e sensível, descreve assim o espaço:
A primeira fase da Linha Elevada é uma série de jardins desconexos, pontuados por uma fonte e algumas áreas de estar sossegadas, que se desenrolam numa narrativa lírica e parecem flutuar acima do barulho e da congestão abaixo. (...) Mas o que é realmente inesperado no parque é o modo como ele altera a sua perspectiva da cidade. Guiando você através de uma paisagem secreta, de edifícios abandonados, estreitos canyons urbanos e vistas do rio, ele te permite fazer conexões visuais inteiramente novas entre diferentes partes de Manhattan, mantendo, ao mesmo tempo, uma notável relação de intimidade com as ruas circundantes.”

Fiquei com inveja da Ana, que está de partida para NYC, e da própria Nova York, que tem parque, rio e uma linha verde só para pedestres.

























































As fotos são do New York Times.

Nenhum comentário: