4 de ago de 2009

aniversário

.
O povoado de Traíras, em Goiás, comemora 54 amos do tombamento da sua principal igreja. A reportagem é do Estado de São Paulo de hoje (veja um video em: http://tv.estadao.com.br/videos,TRAIRAS-UM-PATRIMONIO-ABANDONADO,66517,250,0.htm.)

"Há algo na alma do sertanejo que o leva a conversar por estrofes e poesia, talvez uma artimanha da vida para compensar as várias dificuldades da rotina, o rosto marcado pelo sol, os calos das mãos. Vilson da Silva Rocha, de 81 anos, dono de olhos que acusam cansaço e mãos que provam o esforço, surdo de um ouvido e muito seletivo no outro, é um desses homens que escolhem as palavras certas sem querer, quase como se quisesse fazer um testamento de sua história. Também fala com o peso de ter de resumir em sentenças a história de sua vila, suas raízes, transformadas em ruínas pelo descaso. “Não foram as casas que ruíram, foi o mundo que caiu”, diz, olhando de soslaio para o sol forte de mais uma manhã sem movimento no povoado de Traíras, bem no norte de Goiás. “Aqui era muito maior, mais pessoas, mas quase todos foram embora. Aí a gente que ficou não teve mais importância. Agora as casas estão acabando de acabar.”















foto 1: Ruinas da Igreja de Nossa Senhora do Rosário, a Igreja dos Negros, tombada pelo IPHAN em 1955, com parecer elaborado por Carlos Drumond de Andrade. Os cães são mantidos do lado de fora, pela cerca que mantém dois porcos do lado de dentro.

foto 2: Francisco João Pereira e sua irmã, Ana João Pereira, dona da casa onde ficou Dom Pedro II. Isso pode até ser uma lenda, já que nada está documentado.

Nenhum comentário: